domingo, 17 de novembro de 2013

A divindade escondida nos homens justos

"As almas de todos os homens são imortais, mas as almas dos justos são imortais e divinas" (Sócrates).

   Na constituição pastoral Gaudium et Spes (Alegria e Esperança), afirma que há uma semente divina no homem, logo o homem precisa fazer essa semente germinar.

Existe na mitologia hindu que conta, numa época imemorial, que todos os homens da terra eram deuses, mas os homens pecaram e abusaram tanto do Divino que Brahma, o deus de todos os deuses, decidiu que a divindade fosse retirada dos homens e escondida em algum lugar onde jamais fosse encontrada.

   Um dos deuses disse: "Então vamos enterrá-la profundamente na terra".
Brahma replicou: "Não o homem pode escavar a terra até encontrá-lo".
Outro deus disse: "Então, vamos jogá-lo no oceano mais profundo".
Brahma não concordou: "Não, o homem aprenderá a mergulhar e um dia vai encontrá-la".
Um terceiro deus sugeriu: "Por que não escondê-la na montanha mais alta?"
Brahma então disse: "Não, o homem pode escalá-la. Tenho um lugar melhor. Vamos escondê-la no interior do próprio homem. Ele nunca vai pensar em procurá-la lá".

   A Cristologia (parte da teologia cristã) ensina que, Jesus sendo divino se fez homem, para que os homens se tornassem divinos. No Céu só entrará quem for divino, e para ser divino é preciso ser santo como Deus. 
Ora, Jesus Cristo disse: "Portanto, deveis ser perfeitos [santos] como vosso Pai [Iahweh] celeste é perfeito [Santo]" (São Mateus 5,48). E, só se alcança essa perfeição, através da Espiritualidade Católica que estar na Igreja fundada por Jesus (São Mateus 16,18-19), Igreja esta que é a "...Igreja do Deus vivo: coluna e sustentáculo da verdade" (I Timóteo 3,15).

   Portanto irmãos e irmãs, temos que a cada dia buscarmos essa perfeição cristã, caso contrário ninguém verá o Senhor (Hebreus 12,14). Desejo a todos vocês o mesmo que São Pedro (o primeiro papa) desejou: "...que raie o dia e surja a Estrela D'alva em nossos corações" (II São Pedro 1,19). Pax,

Nenhum comentário:

Postar um comentário